Requalificação do Rancho Madeirense

Autor: Janete Soraia Freitas Santos

NºRegisto: 3782

Introdução:

No âmbito do plano curricular da Escola Profissional Atlântico é proposto
a todos os alunos que frequentam o 3º ano dos seus cursos a elaboração de
um projeto denominado Prova de Aptidão Profissional (PAP). Este tem o intuito de verificar as competências adquiridas ao longo destes três anos e a sua estruturante profissional.
É com este objetivo que desenvolvo este presente trabalho sob a
orientação do professor Pedro Pinto.
O meu projeto consiste na requalificação do Rancho Madeirense
localizado na Reserva Natural da Biosfera, em Santana.
A escolha do mesmo deve-se ao facto de Santana ser procurada por
turistas que pretendem usufruir da natureza num dos seus estados mais puros, contribuindo, assim, para um maior número de deslocações à mesma.
Relativamente à estrutura deste projeto irei fazer uma breve descrição
da ilha da Madeira desde a sua evolução passando pela hotelaria, as suas
ofertas e serviços não deixando de parte a formação perante os jovens, por fim irei fazer uma breve descrição sobre Santana e algumas curiosidades sobre a mesma.
Posteriormente será apresentada a componente prática do projeto que
tem como objetivo a revitalização de um lugar que não tendo grande procura acabou por fechar portas. Perante esta realidade, pretendo revitalizar o espaço juntamente com os jardins e as 15 casas tipo de Santana lá existentes de modo a que se possa “criar” um novo espaço para Turismo em Espaço Rural ou EcoTurismo que está em voga nos dias de hoje.
Apesar de o turismo na Madeira ter vindo a crescer, ano após ano, no
existem, ainda, algumas lacunas que até à data não foram abordadas nem
delineadas por parte da Direção Regional de Turismo e Transportes e
Economia, como por exemplo a construção de infraestruturas pondo em risco a preservação da natureza, sendo esta uma grande imagem de marca do destino Madeira. Estas correções são importantes na medida em que o
desenvolvimento do setor é crescente, criando condições de mercado de forma a captar novos mercados e aposta na manutenção dos que foram conquistados no passado.
Para isso é fulcral oferecer novos serviços e produtos aprofundando-os
de forma a dar a conhecer o que ainda não foi projetado para o exterior.
É impreterível apostar na formação de jovens e faze-los entender a
necessidade do setor turístico consciencializando-os para salvaguardar a
cultura e património visto que a natureza e o clima são uma mais valia na
Região. Com estes pequenos passos a nossa ilha poderá continuar a ser
conhecida mundo fora como “ A Pérola do Atlântico”

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *