Atividades de promoção das competências psicossociais em crianças institucionalizadas, em idade escolar

Autor: Lara Beatriz Sá Mendonça

NºRegisto: 4059

Introdução:

O tema desta PAP, “Atividades de Promoção das Competências
Psicossociais em Crianças Institucionalizadas, em Idade Escolar”, surge no
âmbito da conclusão do curso de Técnico de Apoio Psicossocial (TAP),
Este trabalho tem como objetivo principal a criação de atividades que
façam reconhecer o papel interventivo do Técnico de Apoio Psicossocial
perante as crianças institucionalizadas, em idade escolar, não só como
facilitador do processo de socialização na instituição, mas também como
impulsionador das suas competências psicossociais.
A experiência da institucionalização é complexa porque representa não
só a separação da família, mas também o início de todo um processo de
adaptação a uma nova estrutura e a um quotidiano completamente diferentes.
Assim, é importante o desenvolvimento de competências psicossociais
que possam colmatar estas situações, fomentando o sentimento de bem-estar consigo e com os outros, estimulando o sucesso escolar, a saúde e prevenindo uso de álcool e drogas, violência e bullying.
Neste sentido, organizamos esta PAP em duas categorias distintas, o
enquadramento teórico e a realização da parte prática, por forma a melhor
contextualizar o desenvolvimento das competências sociais e emocionais das crianças institucionalizadas e o seu impacto no seu relacionamento
interpessoal.
No enquadramento teórico, procuramos abordar vários tópicos como as
competências sociais das crianças, desenvolvimento das competências sociais em idade escolar, a importância das competências sociais na adaptação ao meio envolvente, as competências emocionais das crianças, desenvolvimento emocional da criança, a Inteligência emocional no processo de socialização infantil, o desenvolvimento psicossocial da criança institucionalizada, fatores que levam à institucionalização, o impacto da Institucionalização nas crianças, as suas características socio-emocionais, a indisciplina e disrupção das relações entre pares.
Na segunda parte deste trabalho, apresentamos a instituição onde foram
realizadas as atividades, bem como o seu público-alvo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *