A Capoeira e o Desenvolvimento Psicomotor

Autor: Tânia Sofia Gomes Figueira

NºRegisto: 3942

Introdução:

O presente trabalho tem como objetivo a elaboração uma Prova de
Aptidão Profissional (PAP), realizado no âmbito da Prática Pedagógica do
curso Técnico de Apoio à Infância, na Escola Profissional Atlântico.
Numa primeira fase foi necessário elaborar um anteprojeto, de forma a
facilitar este processo.
No primeiro ano já nos tinha sido incutido a importância para o facto de
ter de escolher um tema que se adequasse ao nosso perfil profissional para
elaborar uma Prova de Aptidão Profissional, assim sendo, optei por escolher
um tema relacionado com a Capoeira como meio a arte de promover a
interação entre as crianças. Não escolhi este tema ao acaso, pois a Capoeira
faz parte da minha vida. Sendo capoeirista há sete anos é justo afirmar que a
Capoeira mudou, para melhor, a minha vida. Também escolhi este tema
porque tive o privilégio de acompanhar a minha sobrinha que começou a
praticar esta arte desde o seu primeiro ano de vida. Hoje ela tem três anos e
noto, igualmente, uma aprendizagem muito significante, pois ela consegue
interagir, gosta de cantar, dançar, tocar instrumentos, socializa e participa de
forma espontânea, melhorou os níveis de atenção. No contexto escolar, as
suas educadoras confirmam que ela, realmente, é uma menina bastante
autónoma. Foram estes motivos que me motivaram a escolher este tema.
Este trabalho iniciou-se com uma pesquisa bibliográfica de forma a obter
um conjunto de informação sustentada e alusiva ao meu tema.
O atual trabalho encontra-se dividido em duas partes. Na primeira parte
vou identificar o pressuposto teórico, onde irei apresentar várias abordagens
relacionadas com o tema. Na segunda parte, abordarei o papel do Técnico de
Apoio à Infância em articulação com a atividade prática.
Por último, serão apresentadas as respetivas ilações que advém da
elaboração deste trabalho, ou seja, procurarei selecionar os temas mais
oportunos e importantes com a finalidade de fornecer uma visão mais alargada
e particularizada sobre a Capoeira. É por estas razões que o projeto tem umcarácter pessoal por tratar-se de uma reflexão sobre a minha prática, sobre as
minhas dificuldades e os meus progressos enquanto auxiliar estagiária.
Finalidades e Enquadramento do Projeto
Após um percurso académico no ramo de Técnico Comercial, na Escola
Básica de Santo António dos 2º e 3ºs ciclos, completado em 2013, senti a
necessidade de voltar a estudar mas desta vez noutra área na Escola
Profissional Atlântico, com intuito de preparar-me ao nível da vertente Técnica
e Profissional.
Sempre encarei este percurso como o momento oportuno para “abrir
horizontes” e idealizar formas de ensino através Capoeira, umas vezes vistas
como ousadas e apreciadas… outras nem tanto.
Este tema surgiu, então, como a oportunidade real não só para
desenvolver, experimentar, descobrir, conhecer e questionar as ideologias pré-
concebidas relativas à Capoeira, mas também para aprender a lidar com a
realidade do exercício da profissão. Representou igualmente a possibilidade
para aliar à prática letiva as competências adquiridas no estágio profissional
realizado no Colégio do Marítimo, como Técnica de Apoio à Infância. Desta
forma, julguei que talvez fosse possível conceber e organizar atividades, bem
como instruir, controlar e supervisionar crianças no seu contexto escolar com
maior eficácia e dinamismo.
No entanto, tinha a clara noção que para ser uma boa Auxiliar e
leccionar com competência implicaria a aquisição de novas e peculiares
capacidades para agir neste contexto específico, ou seja, a obtenção de
mestrias tanto ao nível da formação pessoal, social e cultural como também ao
nível das aptidões necessárias para dinamizar a interactividade com os
intervenientes do contexto educativo.
Portanto, esperava superar-me perante as dificuldades que iria encontrar
no exercício da minha prática, como também moldar-me perante a
multiplicidade cultural existente no meio escolar, particularmente docentes,
crianças, funcionários, colegas e outros, obtendo com isso um crescimento
pessoal e uma melhoria ao nível da inteligência emocional.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *